segunda-feira, 13 de outubro de 2008

O erro...

"You know that it would be untrue
You know that I would be a lier
If I was to say to you
Girl, you couldn't get much higher
Come on baby, light my fire"
Light my fire - The doors


Ela abriu os olhos, consultou o relógio em seu pulso.
5:15 am
“MERDA!”
Levantou de forma suave e silenciosa, voltou os olhos para se certificar que ele ainda dormia.

Pegando as peças espalhadas pelo chão tentava recordar como tudo aconteceu. Não era a primeira. Mas definitivamente era a última. Não podia acreditar que caira novamente na conversa dele.

Já estava pronta.

Desceu de foma silenciosa a escada, pegou a chave, respirou fundo

“Mas já vai?!”

Olhou para trás e lá estava ele, descabelado com a camisa aberta jogada por cima do corpo

“Está tarde” – respondeu não muito confiante.

“Tarde? São 5:25!”

“Mas vc sabe que eu não poderia ter ficado ou melhor, nem estado por aqui”

Ele coçou a nuca de forma envergonhada. “É eu sei. Mas não ia nem me dizer tchau?!”

Ela respirou fundo, tentando manter o controle. “É que vc dormia tão gostoso, não quis acordar. Ia jogar a chave pela janela” Disse movimentando a chave fazendo barulho de sino

“Mas agora estou de pé. Não mereço nem um beijo de despedida?”

Ela simplesmente olhou para ele. Sabia que não podia. Não podiam ficar a menos de 5 metros sem que se atirarem nos braços um do outro. Ficou em silencio por alguns segundos.
“Tudo bem, então eu vou buscar o meu beijo”

Ele desceu mantendo seus olhos nos dela, fazendo com que ela não pudesse se mexer. O coração da garota batia no ritmo dos passos dele pela escada.
Ele chegou perto, a segurou pela cintura e lhe deu um beijo profundo.
A garota abre os olhos, se desvencilha dos braços dele. Olha o relógio de pulso.
7:35
am
“MERDA!!!”

3 comentários:

Marcelo Fabri disse...

A criatividade e o talento para se escrever uma estória não se puxa da gaveta como quem quer pegar um clipe ou lenço de papel. Ou é lento ou vem de um lampejo. Não é uma coisa regrada e automática. Por isso mesmo adorei seu texto. Conta um pequeno trecho na vida de duas pessoas, mas com muito charme, pequenas confissões e até um palavrãozinho caiu bem no contexto.
Essa frase que sai da boca dele é ótima: “Tudo bem, então eu vou buscar o meu beijo”.
Você usou um recurso muito bom e que dá vida e brilho ao texto, o apontamento das horas qdo ela olha no pulso. Isso dá movimento, cria a imagem na cabeça dp leitor.
Muito bem! Parabéns!
Não gosto de escrever tanto num comentário e tenha certeza que escreveria muito mais. Vou me conter. Quero te ver sempre assim: inpsirada.

Beijo

Marcelo

Lívia disse...

Adorei, ficou muito bom, hahahaha

nelson chanquini disse...

Muito bom. Um duelo entre a razão de não poder ficar (motivo não expresso no texto, o que particularmente acho charmoso e faz o leitor desenvolver hipóteses) e a emoção da carne, a sua entrega necessária motivada pela paixão.
Gostei muito daqui, voltarei mais vezes.
Apareça mais, será uma honra (rs).

Beijos